quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Vem ai o Cubo 2.0!

Há 3 meses, quanto completamos 500 dias no Cubo escrevi um post contando um pouco sobre como funciona o Cubo e quais as vantagem de fazer parte do espaço. Ontem, 100 dias depois, fomos informados em uma coletiva de imprensa que grandes novidades estão a caminho.

Inaugurado em setembro de 2015, podemos dizer em startupês, que o Cubo foi um MVP feito pelo Itaú para testar como o Banco poderia se aproximar da inovação e contribuir para o empreendedorismo brasileiro. Bem, podemos dizer que nesses quase 2 anos que se passaram, o projeto foi um sucesso, sucesso tão grande que o Itaú decidiu dar um próximo passo.


Uma aflição natural para as Startups que são residentes no Cubo, como a Looqbox, é que quando o negócio começa finalmente a engrenar, a equipe e a carteira de clientes começam a crescer, você tem ir embora, pois o espaço só comporta atualmente times com no máximo 25 integrantes. Como diz Flávio Pripas, diretor do Cubo, quando a Startup fica com um tamanho interessante para contribuir com as outras e interagir com empresas maiores, ela tem que sair do Cubo.

Mas, sem mais delongas, e com muita satisfação, ontem foi anunciada a nova versão do Cubo, versão amplificada 2.0, ultra, hyper do que já era excelente. Com deploy previsto para o 1º trimestre de 2018, o Cubo 2.0 tem como meta ser referência no que faz, e colocar São Paulo no epicentro do empreendedorismo mundial. Os números são bizarros de bons, e deixaram os residentes de queixo caído quando foram anunciados. Seguem alguns números, abaixo:


Como mostrado no quadro acima, o Cubo 2.0 é 4x em estrutura e 25x maior em possibilidade de interações (cálculo só entre residentes) uma verdadeira máquina de serendipidade. O prédio de 12 andares contará com auditório para 800 pessoas e Rooftop com espaço para elaboração de grandes eventos. Sem entrar em detalhes, segundo CIO do Itaú, Ricardo Guerra, o prédio não só acolherá startups de tecnologia, como será ele mesmo um dos mais tecnológicos do mundo. O endereço? Difícil de ser tão bem localizado em São Paulo, Alameda Vicente Pinzon 54, no coração da Vila Olímpia.




Parabéns ao Itaú e à RedPoint pela expansão da iniciativa. Estamos animados para continuar essa jornada e crescer ainda mais, em breve, no Cubo 2.0.



terça-feira, 8 de agosto de 2017

Qual a relação da Amazon e o Coworking?

Quando o serviço de computação em nuvem da Amazon foi lançado em  25 de Agosto de 2006, a linha do tempo nas empresas de tecnologia sofreu uma ruptura e passou a ser dividida em AA e DA, antes da Amazon e depois da Amazon. Por que? Porque a Amazon tornou possível a contratação de servidores de uma forma completamente nova e escalonável. Iniciar uma Startup de tecnologia se tornou subitamente mais barato e mais rápido uma vez que não era mais necessário comprar servidores, instalá-los e ter alguém no time para cuidar de sua manutenção. Desde então, basta entrar no site da AWS (Amazon Web Service), configurar sua máquina e... voilà, sua mais nova criação está pronta para ser apresentada ao mundo.

Ok, hoje não é mais necessário espaço para servidores na sua Startup, mas como fica o time? Ele também cresce. Não seria interessante ter uma estrutura de espaço escalonável para a sua equipe também? Não seria interessante não ter que se preocupar com mobiliário, internet, estacionamento, sala de reunião, manutenções do dia a dia, limpeza? É aqui que entram os coworkings. Eles são como a Amazon, só que para acolher o seu time. Sua equipe pode crescer e o espaço ocupado também pode crescer conforme a demanda. Escrevemos sobre o Cubo há 3 meses e naquele momento enfatizamos o valor dos coworkings como espaço de relacionamento mas não comentei sobre este aspecto funcional do espaço como um valor a mais de se trabalhar em um coworking.

Com o crescimento do time Looqbox, ficou muito claro para nós que essa também é uma vantagem importante. Com a graduação da Linte (Startup Jurídica de Gabriel Senra) vagou uma sala super bacana que agora é a nova casa do Looqbox aqui no Cubo. O coworking nos permite focar no negócio e blinda a empresa de problemas comuns do dia a dia, problemas de quem teria que cuidar da sua própria infraestrutura.

Não é à toa que vários espaços de coworking estão surgindo no Brasil, dos mais diversos tipos: desde empresas brasileiras, como a criativa e aconchegante OddBall e a super badalada Plug, até as globais, como a recém lançada e gigante WeWork, que é um super sucesso, abrindo as portas com todas as posições já ocupadas.


Acreditamos que os coworkings são um movimento irreversível e que vieram para ficar. Aproveito e deixo aqui o convite para quem quiser conhecer nosso novo espaço aqui no Cubo e vir tomar um Looqcoffee conosco.